TAL A UMA ÁRVORE MORTA DE PÉ

“O tolo cruza as suas mãos, e come a sua própria carne.
- Eclesiastes 4:5




São tantas as vozes, mas não lhes há esteio,
exceto por suas próprias sequelas,
ramos ardidos que noutros se repetem,
fastios de cães na noite infinda.

Pedem água e justiça; choram por leis
às quais apregoam bálsamo do mundo,
                                     se bem que não.
São elas mesmas toda a mesmice
que se consegue à força do hábito.

São tantas as vozes, mas uma voz só,
o canto de um bicho que se perdeu,
como a aborrecida beleza de um osso
ou tal a uma árvore morta de pé.


│Autor: Webston Moura│
____________________________

Comentários