POEMA DE PEDRO DU BOIS



Na anterioridade da espécie
a vida gosta e se alimenta
                     ama e maldiz
                     alvorece e anoitece.

O tempo (reconquista
                     do espaço
                      corpóreo)
a transforma em massa
inerme a amórfica.

O tempo (recompensa
                     do espaço
                      não corpóreo)


.........................
# Poema "XXVI" d'O SENHOR DAS ESTÁTUAS (Editora Penalux, 2013)


Pedro Du Bois [Passo Fundo-RS, Brasil] - Poeta, contista, autor de Iguais (poemas), O senhor das estátuas(poemas), Os objetos e as coisas (poemas) Pedro Du Bois Em Contos (contos). Participa do Projeto Passo Fundo (http://www.projetopassofundo.com.br/), é membro da Academia Itapemense de Letras e do Clube dos Escritores de Piracicaba. Mantém o blog Pedro Du Bois - Poemas (http://pedrodubois.blogspot.com.br/) e reside atualmente em Balneário Camboriu-SC, Brasil.

Comentários