AQUELE CÃO

Ao pé do portão, aquele cão de cismada figura a dormir.
Quem sabe o que lhe passa ao coração?

Se me ponho de pé até com os móveis,
não seria, pois, minha a cisma?

Não lembro outro tempo
que não seja este,
o do temor.
Meu corpo adquiriu esse saber
e o sabe com a mais fina destreza.

Aquele cão.


│Poema da Série “Medo” – Autor: Webston Moura│

Comentários

OS 10 POSTS MAIS VISITADOS DOS ÚLTIMOS 30 DIAS

ÚLTIMO GRITO CONTRA A ESCURIDÃO

CONSUMAÇÃO

POEMAS DE PEDRO DU BOIS

VIAJANDO NA MADRUGADA

CATILINA

SOMBRAS E SOBRIEDADE

ÁVIDA FLAMA INCESSANTE

SERTÃO

RUÍNAS