O VENTO SOBRE AS ÁGUAS

Guardo as palavras, assim desejo.
O que falo é repertório econômico.

Observando tudo que não fala na minha língua,
descubro os obscuros idiomas da vida.
Por exemplo, o intervalo de uma hora específica,
seu correr leve, as coisas engendradadas,
tudo que meu coração disto captura.
Quando o vento passa sobre as águas,
escuto as palavras que não sei dizer.


│Poema da Série “Palavra” – Autor: Webston Moura│

Comentários